domingo, 15 de outubro de 2017

Quem quer ser professor levanta a mão! O que é isso uma piada de professor?

Qual professor já fez esta pergunta em sua sala de aula? Eu já fiz e as respostas foram bem bizarras. Hoje no dia do professor não quero parabenizar a nenhum professor porque acho que felicitações não é o que os professores merecem.
Pode parecer rídículo ou você pode ficar chocado(a) com o que eu acabei de dizer. Mas é verdade. Abri hoje meu facebook e lá estava centenas de banner parabenizando os professores. Banneres de frases impactantes, chocantes, fofas e tantas outras que não me comoveram.
Sou mal amada, sofrida e ou reclacada como a maioria poderia dizer ? Não. Apenas tenho certeza de um dia de felicitações nada contribuirão em reconhecer o valor do professor. Lotar os aplicativos de lindas mensagens não dignificam nosso dia - a - dia na sala de aula.
Poderia gastar o meu tempo falando tantas coisas legais no dia do professor e aí fiquei olhando meus projetos e vídeos com meus alunos.
Fiquei noltágica, chorei, recordei e voltei ao normal. A realidade não é fantasiosa. A sala de aula não é um mar de flores. E no dia dos professores veja tantos colocarem marca d'agua do orgulho de ser professor.
Talvez você não termine de ler esta postagem, ou talvez só tenha vindo parar nela porque com certeza gostaria de critica-la ou de que ela se torna-se algo que me denigresse ou me ofendesse.
Mas ela pode ser mais impactante do que o que você imagina. Ou nem me importe com o que você está pensando apenas sinto um desespero calado que me nega parabenizar os professores no dia de hoje.
A verdade é que enquanto os professores deste país se esconderem em seus sofrimentos, lutos, resignações, resiliências continuaram nutrindo o sistema que os oprimem.
A primeira vez que eu entrei em uma sala de aula foi assutardor. Eu tinha vinte anos, estava iniciando um estágio do meu curso de Licenciatura em História. Não lembro quantos alunos tinham. Só lembro dos gritos , da bagunça , dos risos e de me sentir tão perdida. Quando parei e me vi de frente aqueles adolescentes do nono ano não sabia o que dizer nem lembro do que falei. Só lembro que não se importaram.
Foram três meses díficéis naquele ano. Cheguei a subir na mesa para que eles prestassem atenção a mim. Comprei canetas e chamequinho para que anotassem alguma coisa. Abri o armário dos professores e peguei o diário que branco não tinha anotações pois a turma há meses não tinha professores.
Daquela experiência o que me lembro é de que dia a pós dia eu tentei sem muito sucesso.
E desta data até hoje foram-se quase 20 anos. Contiuo sendo professora.
Foram tantas turmas, tantos alunos, tantas tentaivas , erros e acertos. Uns que me orgulham outros que me entristecem.
Certa vez me vi diante de uma turma de sexto ano que não parava de falar, onde eu não ouvia o proprio som da minha voz. Eram meninas e meninos que eu os olhavam e me perguntava porque estão ali.
Esta pergunta nunca mais saiu da minha cabeça. Por que nossas crianças estão indo a escola? Por que nossos jovens estão indo a escola?
A resposta parece ser tão fácil! Mas não é.
Um dia tive que decidir se continuaria minha jornada de professora. Quando joguei meus diários de notas na sala da coordenadora chorando e disse que não mais voltaria.
Voltei tantas e tantas outras vezes. E fiz esta pergunta em todas as minhas salas, que naquele ano eram seis turmas de sexto ano. Nenhuma delas houve uma resposta aceitavam. Chegou a ter respostas absurdas.
Foi quando eu perguntei quem quer ser professor levanta a mão? E um aluno me devolveu a pergunta com outra pergunta "isso é uma piada professora?"
Deve ter sido porque todos sorriram e eu fiquei ali constrangida, me sentindo como uma criança que sente bullying porque o aluno continuo " quem quer ser professor? que futuro ser professor vai nos dar? olhe para seu celular? a senhora anda de ônibus? e ai ele concluiu "Deus me livre de ser professor" e outros repetiram como um coral afinado e diveritido com risos que ultrapassaram meus ouvidos como espadas de lâminas afiadas.
Fiz um discurro marxista, cheio de ideologias e explicativas da luta de classe e que a posição dos professores é importante e bla.bla...bla.....bla..... em menos de cinco minutos nenhum prestavam atenção no que eu estava falando e lá estava eu o que Freud diria "Racionalizando meu proprio recalque".
Estaria certo aquele aluno? Ele teria sido corajoso de dizer o que todos pensam a respeito de nós professores. Porque assim age a sociedade nos parabenizando e amanhã voltam a ser mães e pais que nos ofendem, nos criticam e nos oprimem.
Já chegou ao ponto de você criar raiva do que está lendo e me julgar?
Porque eu mesmo estou me julgando.
Assim nos sentimos na maior parte das vezes. Justificando. Racionalizando, Dando desculpas. Tentando.
Mas é preciso. Porque se nós professores desistismos o que acontecerá com este planeta. Para muitos a sala de aula é o único espaço para discussão sobre ética e valores, onde o conhecimento de gerações é trasnmitidos e criado e recriado muitas vezes.
Eu não desisti. Não foi e não fácil. Para nenhum professor, não importa a sua idade, seu tamanho, a escola, a disciplina, o salário, nada disso importa. Porque vivemos em uma sociedade diferente, com valores diferentes, que está perdida dentro de sua própria evolução.
Não cabe a mim julgar de quem é a culpa, porque todos somos culpados.
A maturidade nos leva a pensar de forma mais lógica, o conhecimento nos torna mais críticos. Mas precisamos de professores que queiram ser professores. Que desejem ser professores. Que ame ser professor e porque não dizer que sonharam em ser professores.
Porque compartilhar banneres nas redes sociais é fácil dificil é acordar todos os dias e encarar salas lotas, uma geração que nada sabe, nada quer, nada deseja, nada o sastisfaz. Uma geração sem próposito, sem respostas, sem ética e sem valores. Uma geração que resulta na luta por resultados numéricos.
Não adianta apenas lamentarmos mas nos questionar o que eu como professor estou fazendo para mudar tudo isso.
Somos a base que estrutura a cultura de um povo. O que temos feito para que esta geração torne-se melhor?
A mídia posta lindas homenagens, nos oferecem flores mas o que vai mudar quando eu entrar em minha sala amanhã?
Vou realmente ter orgulho de ser professor? Ou vou me lamentar quando o contracheque chegar, ou vou ficar reclando dos alunos na sala dos professores?
Eu escolhi nem sempre ser agradável, ser aquela que incomoda, que briga , que grita pelo que quer, pela que escolheu tentar todas as vezes que outros professores disseram para que eu parasse de tentar salvar o mundo.
Porque você pode ensinar só conteúdos. Mas pode ir além. Você pode escolher mudar esta geração. Porque se tem alguém que pode fazer isto é o PROFESSOR.
Eu fiz e continuo fazendo minha parte.
Saudade dos meus alunos do ensino fundamental. Hoje no ensino superior a missão continua, não tão fácil.


Para conhecer alguns dos projetos que realizei nas turmas de sexto ano acesse http://clubedehistoriadatiajo.blogspot.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para receber novidades deixe seu e-mail

OBRIGADO POR SUA VISITA AMIGO(A)!
Cadastre-se e receba nossas novidades em seu e-mail.
PARA BAIXAR LIVROS E APOSTILAS GRATIS CLIQUE AQUI